Brasília, Quarta-Feira, 20 de Novembro de 2019

Poder e Saúde

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Plenário PLEN - Senador defende juros mais baixos para financiamentos às Santas Casas

PLEN - Senador defende juros mais baixos para financiamentos às Santas Casas

E-mail Imprimir PDF

Senador defende juros mais baixos para financiamentos às Santas Casas

Senador defende juros mais baixos para financiamentos às Santas Casas.

O senador Vanderlan Cardoso (PP-GO) defendeu em Plenário nesta quinta-feira (24) a redução da taxa de juros praticada por bancos públicos na concessão de financiamentos às Santas Casas de Misericórdia. Ele destacou que 50% dos atendimentos realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) se dão nos hospitais filantrópicos, que a seu ver deveriam ter prioridade nos programas de investimentos e incentivos do poder público.

Vanderlan citou como exemplo o caso da Santa Casa de Anápolis, no estado de Goiás, que passa por grave crise financeira, após contrair empréstimo junto à Caixa Econômica Federal com taxa de 23% ao ano. O senador chegou a comparar o financiamento ofertado aos hospitais filantrópicos com o consignado, já que os recursos, tanto os juros pagos mensalmente, como o montante do principal é descontado do repasse do SUS para essas unidades. De acordo com ele, os serviços para a população foram prejudicados.

— A Santa Casa de Anápolis, que agora teve a UTI neonatal fechada por falta de recursos, que teve que desligar ar-condicionado, que teve que desligar as lâmpadas às vezes, três meses de salário atrasado e eu achando que um R$1 milhão da minha emenda, que eu ia colocar lá, ia dar para sanar alguns problemas, dá para pagar um mês de juros — lamentou.

Vanderlan disse que esteve com o presidente da Caixa Econômica Federal, Pedro Guimarães e pediu que a situação das Santas Casas fosse reavaliada. Além das propostas de renegociações das dívidas em condições viáveis, o senador sugere que os bancos públicos pratiquem taxa de juros de 7% ao ano já que já que a taxa SELIC, que é o índice básico de juros da economia no Brasil, está hoje em 5,5%.

Fonte: Agência Senado