Brasília, Terça-Feira, 20 de Novembro de 2018

Poder e Saúde

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Página Inicial Amenidades Câmara homenageia campanha de conscientização do mês do diabetes

Câmara homenageia campanha de conscientização do mês do diabetes

E-mail Imprimir PDF

Câmara homenageia campanha de conscientização do mês do diabetes.

Homenagem foi feita em sessão solene realizada nesta quinta-feira (1)

Em homenagem à campanha de conscientização do mês do diabetes, o Novembro Azul, a Câmara dos Deputados realizou, nesta quinta-feira (1), sessão solene requerida pela deputada Carmen Zanotto (PPS-SC). O dia mundial do diabetes é comemorado no próximo dia 14 de novembro.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), mais de 16 milhões de brasileiros sofrem de diabetes. Em discurso lido no Plenário, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), destacou que o Brasil já é a quarta nação com o maior número de casos da doença, atrás apenas da China, da Índia e dos Estados Unidos. Por isso, ele ressaltou que “o Novembro Azul é ocasião para lembrar que o combate ao diabetes deve ser política pública amplamente prioritária”.

Segundo Maia, medidas simples, como campanhas de conscientização e de estímulo à vida saudável, podem ter eficácia significativa no combate ao crescimento da doença. O parlamentar também lembrou do dever do Estado em franquear acesso universal e igualitário aos meios de promoção, proteção e recuperação da saúde. Como exemplo, ele citou a distribuição de insulina pelo SUS e a divulgação de material de conscientização.

A deputada Carmen Zanotto lembrou das dificuldades que se tinha antes para conseguir tratamento adequado do diabetes. “Quem não lembra da dificuldade que era fornecer um simples glicosímetro para um paciente controlar seu diabetes?”, indagou. “As pessoas menos favorecidas não conseguiam nem comprar as glicofitas, que hoje são fornecidas pelo Sistema Único de Saúde. Estamos avançando, inclusive, na cobrança da qualidade e da precisão dos glicosímetros que são fornecidos à nossa população”, destacou a deputada.

Em seu discurso, Zanotto ainda afirmou que acredita que as insulinas análogas de ação rápida poderão estar disponíveis nas unidades e nos serviços de saúde a partir deste mês.

Complicações
Há graves problemas de saúde comumente associadas ao diabetes, como infarto do miocárdio, diversas infecções, perda da função renal, enfraquecimento muscular e redução da acuidade visual. Segundo a presidente da Sociedade Brasileira de Diabetes, Hermelinda Cordeiro, as mortes no Brasil em decorrência de diabetes ainda são elevadas. “As complicações causam não só alteração na qualidade de vida, como também um impacto socioeconômico importante. Portanto, nós temos o dever de lutar para melhorar as oportunidades de terapias em nosso país”, afirmou.

Para Hermelinda, é preciso avançar e obter uma melhoria de medicamentos e de condições de controle da doença no serviço público de saúde. “Não é possível mais que as pessoas que não têm condições socioeconômicas e financeiras não tenham a oportunidade de receber os mesmos insumos, os mesmos controles, as mesmas oportunidades que as pessoas que representam a parcela tão pequena do nosso país, que tem poder aquisitivo maior”

Frente parlamentar
De acordo com Rodrigo Maia, o poder público precisa avançar muito no cuidado do diabetes. Por isso, o Congresso Nacional conta com a frente parlamentar mista pela causa do diabetes, criada em novembro de 2017, composta por 218 deputados e 20 senadores, dedicada a busca de soluções para esse problema de saúde pública.

Além disso, a Câmara dos Deputados aprovou, em 2017, o PL 6754/13, que institui a Política Nacional de Prevenção do Diabetes e de Assistência Integral à Saúde da Pessoa Portadora de Diabetes. A matéria ainda será apreciada pelo Senado Federal.