Brasília, Domingo, 29 de Novembro de 2020

Poder e Saúde

  • Increase font size
  • Default font size
  • Decrease font size
Home Página Inicial Amenidades Congresso recebe iluminação especial como alerta para a prevenção ao câncer de próstata

Congresso recebe iluminação especial como alerta para a prevenção ao câncer de próstata

E-mail Imprimir PDF

Congresso recebe iluminação especial como alerta para a prevenção ao câncer de próstata.

Iniciativa é parte da campanha internacional Novembro Azul

Em apoio ao Novembro Azul, movimento internacional de conscientização sobre a prevenção e combate ao câncer de próstata, o Palácio do Congresso Nacional estará iluminado de azul no período de 2 a 20 de novembro.

A iniciativa busca chamar a atenção dos homens sobre a importância da realização de exames periódicos para diagnóstico precoce da doença.

O Novembro Azul foi criado na Austrália em 2003, aproveitando a celebração do Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata, em 17 de novembro. Teve como inspiração o Outubro Rosa, que alerta mulheres sobre a importância da prevenção ao câncer de mama.

Prevenção
De acordo com a Sociedade Brasileira de Urologia (SBU), o câncer de próstata é a neoplasia mais frequente entre homens, com uma previsão de mais de 65 mil novos casos diagnosticados em 2020.

Os exames periódicos anuais são importantes porque a doença normalmente não apresenta sintomas em sua fase inicial, o que faz com que muitas vezes só seja detectada em estágios mais avançados. Se for descoberto e tratado precocemente, o câncer de próstata apresenta cerca de 90% de chances de cura.

A SBU recomenda que o exame de toque retal seja feito anualmente a partir dos 50 anos para homens sem casos na família e dos 45 anos para negros e homens com casos na família.

Congresso recebe iluminação especial como alerta para a prevenção ao câncer de próstata

Pandemia
Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), muitos novos casos podem não ser diagnosticados a tempo por conta do isolamento social provocado pela pandemia de Covid-19. No Brasil houve uma queda de 70% das cirurgias oncológicas e uma queda de 50% a 90% das biópsias enviadas para análise, estimando-se que entre 50 mil a 90 mil brasileiros deixaram de receber diagnóstico de câncer nesse período.

Fonte: Agência Câmara de Notícias